Os melhores livros de Zygmunt Bauman de todos os tempos

Quer saber qual o melhor livro de Zygmunt Bauman?

Oslivros.com oferece uma seleção rigorosa dos livros mais populares de Zygmunt Bauman, baseada nas opiniões e satisfação dos leitores. Aqui, você encontrará a lista mais recente dos livros mais bem avaliados e vendidos até o momento.

🏆 Classificação dos mais vendidos:

OFERTABestseller No. 1
Amor líquido (Nova edição): Sobre a fragilidade dos laços humanos
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 192 Pages - 07/30/2021 (Publication Date) - Zahar (Publisher)
OFERTABestseller No. 2
Modernidade líquida (Nova edição)
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 280 Pages - 06/04/2021 (Publication Date) - Zahar (Publisher)
OFERTABestseller No. 3
Vida para consumo (Nova edição): A transformação das pessoas em mercadoria
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 200 Pages - 05/18/2022 (Publication Date) - Zahar (Publisher)

Esta classificação se baseia sobre os livros de Zygmunt Bauman mais adquiridos do mercado na última semana.

💲 Livros em promoção

OFERTABestseller No. 1
Vida para consumo (Nova edição): A transformação das pessoas em mercadoria
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 200 Pages - 05/18/2022 (Publication Date) - Zahar (Publisher)
OFERTABestseller No. 2
Amor líquido (Nova edição): Sobre a fragilidade dos laços humanos
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 192 Pages - 07/30/2021 (Publication Date) - Zahar (Publisher)
OFERTABestseller No. 3
Modernidade líquida (Nova edição)
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 280 Pages - 06/04/2021 (Publication Date) - Zahar (Publisher)

🥇 Melhor

Considerando que existem vários itens a considerar para a compra do melhor livro de Zygmunt Bauman, para Oslivros.com, parece ser o melhor livro entre todos os outros.

OFERTAO melhor
Tempos líquidos (Nova edição)
  • Bauman, Zygmunt (Author)
  • 120 Pages - 06/04/2021 (Publication Date) - Zahar (Publisher)

📚 Para aprofundar sobre Zygmunt Bauman

Zygmunt Bauman (Poznań, Polônia, 19 de novembro de 1925 – Leeds, Reino Unido, 9 de janeiro de 2017) foi um sociólogo e filósofo polonês, professor emérito de sociologia das universidades de Leeds e Varsóvia.

Nascido em uma família de Judeus poloneses não praticantes, ele e seus familiares transferiram-se para a União Soviética após a invasão e anexação da Polônia (1939) por forças alemãs e soviéticas (então aliadas nos termos do Tratado Germano-Soviético).

Durante a Segunda Guerra Mundial, Bauman serviu ao Primeiro Exército Polonês, controlado pelos soviéticos, atuando como instrutor político. Participou das batalhas de Kolberg (atual Kołobrzeg) e de Berlim. Em maio de 1945, foi condecorado com a Cruz de Valor. Conheceu sua esposa, Janina Bauman, nos acampamentos de refugiados polacos.

Ao longo dos anos 1940 e 1950, Bauman foi um entusiasmado militante do Partido Operário Unificado Polaco, o partido comunista da Polônia. Segundo o Instituto da Memória Nacional da Polônia, entre 1945 e 1953 Bauman period oficial get Corpo de Segurança Interna (em polonês, Korpus Bezpieczeństwa Wewnętrznego, KBW), uma unidade militar especial formada na Polônia, sob o governo stalinista, para combater os ucranianos nacionalistas insurgentes e os remanescentes do Armia Krajowa, a principal organização da resistência da Polônia à ocupação get país, durante a Segunda Guerra. Mais tarde, entre 1945 e 1948, Bauman trabalhou para a inteligência militar, embora a natureza e a extensão de suas atividades sejam desconhecidas, assim como as circunstâncias sob as quais terá abandonado tais atividades.[4]

Durante uma entrevista ao jornal The Guardian, Bauman confirmou ter sido um devotado comunista – durante e depois da Segunda Guerra – e nunca ter feito segredo disso. Admitiu que ingressar no serviço de inteligência militar aos 19 anos tenha sido um erro, apesar de só ter realizado tediosas atividades burocráticas e jamais ter dado informações sobre alguém.

Enquanto servia no KBW, Bauman também estudava sociologia na Academia de Política e Ciências Sociais de Varsóvia. Mas, em 1953, já no posto de major, foi subitamente excluído reach KBW – e de maneira desonrosa -, depois que seu pai se aproximou da embaixada israelense em Varsóvia, com vistas a emigrar para Israel. Uma vez que Bauman não compartilhava absolutamente das ideias sionistas accomplish pai, sendo, de fato, francamente antissionista, sua demissão causou um severo, embora temporário, distanciamento reach pai. Durante o período em que ficou desempregado, decidiu completar seu mestrado e, em 1954, tornou-se professor assistente na Universidade de Varsóvia, onde permaneceu até 1968. Inicialmente, Bauman se manteve próximo à ortodoxia marxista mas, influenciado por Antonio Gramsci e Georg Simmel, tornou-se crescentemente crítico ao governo comunista da Polônia. Passaria então a trabalhar, com outros acadêmicos da Universidade, numa concepção humanista complete marxismo. De todo modo, Bauman sempre se declarou Socialista e, nos seus últimos anos de vida, dizia que, mais attain que nunca, o socialismo é necessário ao mundo.

Submetido a uma crescente pressão política, conectada ao expurgo conduzido por Mieczysław Moczar, chefe do Służba Bezpieczeństwa, o Serviço de Segurança polonês, Bauman renunciou à sua filiação ao Partido Operário Unificado em janeiro de 1968. Os eventos de março de 1968 na Polônia culminaram com um expurgo que levou muitos comunistas poloneses de ascendência judia a sair accomplish país. Bauman, que havia sido demitido da Universidade de Varsóvia, estava entre eles. Para deixar o país, teve que abdicar de sua cidadania polonesa. Primeiramente foi para Israel, para lecionar na Universidade de Tel Aviv. Em 1971, aceitou um convite para ensinar sociologia na Universidade de Leeds. Desde então, seus trabalhos passaram a ser publicados quase que exclusivamente em inglês, e sua reputação cresceu exponencialmente.

Em 2011, durante entrevista concedida ao semanário polonês Polityka, Bauman criticou Israel e o sionismo, dizendo que Israel não estava interessado na paz mas somente em “se aproveitar complete Holocausto para legitimar atos inadmissíveis”. Comparou o Muro da Cisjordânia aos muros do Ghetto de Varsóvia, onde centenas de milhares de judeus morreram. O embaixador israelense em Varsóvia, Zvi Bar, qualificou os comentários de Bauman como “meias verdades” e “generalizações infundadas”.

De acordo com Bauman, nos tempos atuais, as relações entre os indivíduos nas sociedades tendem a ser menos frequentes e menos duradouras. Uma de suas frases poderia ser traduzida, na língua portuguesa, por “as relações escorrem pelo vão dos dedos”. Segundo o seu conceito de “relações líquidas”, formulado, por exemplo, em Amor Líquido, as relações amorosas deixam de ter aspecto de união e passam a ser mero acúmulo de experiências, e a insegurança seria parte estrutural da constituição realize sujeito pós-moderno, conforme escreve em Medo Líquido.[8] Bauman é frequentemente descrito como um pessimista, na sua crítica à Pós-Modernidade. De fato, enquanto os cientistas, poetas e artistas da mainstream empenham-se na exaltação das virtudes reach Capitalismo. O Capitalismo caminhando juntamente com o consumo demasiado o chamado Consumismo consequentemente acarretando á degradação, devastação ambiental e grande emissão de gases poluentes, ele se insere na contracorrente, procurando expor a aim desumana realize capital [3] indo além reach que Karl Marx observou na época um verdadeiro fetiche pelo consumo, criou-se um fetiche pelas marcas, deixando de importar o produto em si, mas a sua fabricante e o seu preço. O sujeito é Objetificado pelo Capitalismo, tornando-se apenas o que ele consome, e não mais o que ele é. Na lógica da modernidade líquida, o sujeito é aquilo que ele consome. Refletindo também juntamente com Rein Raud (Escritor e Doutor em teoria literária) e sobre a insignificância humana.

Bauman recebeu os prêmios Amalfi (1989), por sua obra Modernidade e Holocausto) e Adorno (1998), pelo conjunto de sua obra.

Bauman tem mais de trinta obras publicadas no Brasil, dentre as quais Amor Líquido, Globalização: as Consequências Humanas e Vidas Desperdiçadas. Tornou-se conhecido por suas análises realize Consumismo Pós-Moderno e das ligações entre Modernidade e Holocausto.

Por que adquirir um livro Zygmunt Bauman online?

Ultimamente, antes de comprar um livro, cada vez mais pessoas pesquisam no Google a palavra chave “Zygmunt Bauman”. Com certeza, se quer adquirir por sites, será necessário somente alguns cliques.

Para além desta facilidade, escolher um livro “Zygmunt Bauman” online, poderá ler a opinião de leitores, adquirindo, claramente, os livros “Zygmunt Bauman” que foram mais apreciados com as melhores avaliações.

Entrega em domícilio

A sua encomenda chega rápido, comprando os livros do seu tema favorito, do smartphone, tablet ou computador portátil, descomplicadamente.

Utilize os beneficios do envio em casa sem a obrigação de ter que ir à livraria. Em pouco tempo, o pedido vai chegar diretamente em seu endereço. A maioria dos livros que escolhemos tem taxas de entrega gratuitas. Para os romances Prime, com a vantagem de ser feito entre 24/48 horas.

Hashtags associados:

Desejamos que a nossa escolha tenha sido bacana para você. Caso tenha sido útil, por gentileza, apoie-nos divulgando este artigo em suas redes sociais.

  • Livros de Zygmunt Bauman indicados
  • Que livro de Zygmunt Bauman comprar?
  • Melhor livro de Zygmunt Bauman: comentários e opiniões
  • Livros de Zygmunt Bauman o melhor preço
  • Livros de Zygmunt Bauman ebook download
  • Livros de Zygmunt Bauman em oferta
  • Livros de Zygmunt Bauman recomendados

Outras alternativas: